União das Freguesias de Baixa da Banheira e Vale da Amoreira
Pesquisar
Freguesia
Junta de Freguesia
Assembleia de Freguesia
Newsletters
Ambiente e Equipamentos
Parque José Afonso – Baixa da Banheira

O Parque José Afonso, na Baixa da Banheira, dispõe de 25 hectares de zonas verdes criados para reaproximar aquela vila operária ao seu rio.

Este parque ribeirinho acompanha o recorte natural das margens do Tejo e dispõe de restaurante, piscinas, ciclovias, circuito de manutenção, áreas de lazer, polidesportivos, parques infantis, miradouro, entre outros equipamentos.

Este parque recebeu já uma menção honrosa no Prémio Nacional do Ambiente.
(Fonte: Câmara Municipal da Moita)


Parque Estrela Vermelha – Baixa da Banheira

Remodelado no âmbito da Operação de Revitalização Urbana da Vila da Baixa da Banheira, o Parque Estrela Vermelha dispõe de várias zonas de estar e zonas verdes.
(Fonte: Câmara Municipal da Moita)


Parque Infantil Vale Brincar – Vale da Amoreira
(Descrição em atualização)

Parque Infantil da Zona C – Vale da Amoreira
Descrição em atualização)


Alguns dados interessantes na nossa freguesia:

  • Na nossa freguesia existem 864 árvores nas ruas e nas escolas (não contando com o parque).
  • Cerca de 30% das ruas têm árvores.
  • O comprimento das dos arruamentos arborizados é de cerca de 12 km.
  • Na freguesia existe uma árvore para cada 27 habitantes (não contando com o parque José Afonso).

Equipamentos Desportivos Baixa da Banheira Vale da Amoreira
Campos de Futebol 1 1 (relva sintética)
Salas Polivalentes 7 -
Polidesportivos 8 7
Campos de Ténis 4 -
Ginásios 3 -
Campos de Basquetebol 3 1

Árvores mais frequentes na Freguesia de Baixa da Banheira

Fraxinus angustiolia

Nome comum: Freixo de folhas estreitas
Família:OLEACEAE
Altura: Até 25 m
Origem: Europa
Observações: Resistente à poluição urbana
Pode-se encontrar alguns exemplares na R. Augusto Gil

Platanus orientalis

Nome comum: Plátano Europeu
Família: PLATANACEAE
Altura: 30 m
Origem: Turquia e Balcãs
Observações: Resistente à poluição urbana
Pode-se encontrar alguns exemplares na Av. Capitães de Abril

Prunus cerasifera V pissardii

Nome comum: Ameixeira de jardim
Família: ROSACEAE
Altura: Até 8 m
Origem: Europa de Leste e Ásia ocidental
Observações: Resistente à poluição urbana
Podem-se encontrar alguns exemplares na EN 11-1, junto à fronteira com a freguesia do Lavradio


História das Comemorações do Dia da Árvore e da Floresta

O homem sempre esteve intimamente ligado à floresta. Nos tempos primordiais a floresta era entendida como a morada de fadas e elfos, como um local de grande mistério e rara beleza, como um mundo de magia.

A árvore era entendida como o símbolo do renascer. Para as várias culturas, a árvore representava a vida, o renascimento, a melhoria. A título de exemplo, no Corão (livro sagrado dos muçulmanos) a árvore celeste, a Tuba, localiza-se nos jardins celestes.

Os índios americanos faziam rituais em redor de uma árvore. Foi sob um baniane, o Bo sagrado, a árvore da vida que Buda entrou em contacto com o eixo do mundo, o que lhe permitiu alcançar a iluminação.

No Egipto, Osíris ressuscitou no seio de um abeto antes de recuperar o seu corpo. Actualmente, as árvores são entendidas como as responsáveis pela manutenção do ar respirável.

Printer Friendly Page Send this Story to a Friend
Agenda
Agosto 2017
S T Q Q S S D
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31      
Divulgação